Como lidar com o Alzheimer



Uma doença que faz com que sua vítima perca a memória, tenha dificuldade para fazer atividades simples, sofra de mudanças de humor e comece a ter o comportamento agressivo, o Alzheimer. Essa doença não é simplesmente uma “frescura de velho”, mas sim uma doença que atinge o cérebro e não tem cura, por isso merece ser levada tão a sério quanto ela mesma é séria.  Embora o Alzheimer não tenha cura, essa é uma doença que pode ser prevenida por meio de atividades físicas, dieta saudável e um bom controle sobre problemas de saúde como diabetes. Evitar o fumo e o uso de álcool também ajuda a evitar o aparecimento da doença. Mas como quem já tem o problema não pode se livrar do mesmo, então o jeito é cuidar. Para quem não sabe, cinco em cada cem brasileiros acima dos setenta anos de idade é vítima do Alzheimer, mostrando que a doença é algo que realmente pode fazer parte da realidade de cada um de nós. Veja como você pode ajudar uma pessoa nessas condições a ter uma vida mais confortável, mesmo apresentando esse problema. Mantenha o bom humor. Não é fácil lidar com uma pessoa nesse estado, mas mesmo assim é preciso tentar ser positivo e estar de bem com a vida para passar isso ao idoso. Lidar com esse tipo de situação de forma leve e descontraída não é lá uma coisa simples de se fazer, mas o esforço de agir assim é fundamental se você quer proporcionar mais qualidade de vida a essa pessoa. Tente rir junto com ele e com quem estiver ao redor e use de muita compreensão e companheirismo, esse carinho fará a diferença. Perguntas. Quando você pergunta de forma a dar várias opções de escolha, isso pode ser desconfortável para a pessoa com Alzheimer, por isso, ao invés de dizer por exemplo, o que ele gostaria de comer, diga a ele o que tem e pergunte se ele quer. Confrontos. Algumas coisas que eles fazem podem parecer ser proposital, mas lembre-se que essa é uma doença que causa agitação e agressividade nas pessoas que são vítimas delas, por isso, tenha um pouquinho de paciência. Deixe ele ser independente. Se ele quer lavar uma louça ou ir ao supermercado, apenas o acompanhe, mas não faça isso por ele. Faça as coisas com ele, e não por ele, porque a independência dele deve ser preservada para que ele se sinta respeitado. Por fim, tenha uma rotina, pois a mesma traz mais segurança e estabilidade para o idoso que sofre de Alzheimer.

Veja mais